Pular para o conteúdo principal

Oriente seus empregados a fazerem perguntas em 5 passos



O professor de inovação Hal Gregersen da INSEAD professor descreve como você pode sistematizar questões para incentivar a criatividade e resolver problemas.

A sua empresa está começando a estagnar? Você pode não está fazendo perguntas suficientes.

De acordo com Hal Gregersen, fazer perguntas é uma ferramenta prática para ajudá-lo a crescer com novas ideias, resolver problemas e ter diferentes perspectivas.

Para esse fim, Gregersen desenvolveu um método interrogatório, que ele chama de "questionamento catalítico". Ele descreve como você pode usar o questionamento catalítico para estimular brainstorming criativo, descobrir novos rumos para sua equipe ou empresa, envolver os seus colaboradores e determinar soluções inovadoras.

Veja como implementar esta estratégia:

1.   Faça a pergunta central

O método inicia com a disposição de sua de sua equipe em torno de um quadro branco ou de um flip chart, e o incentivo a todos a fazerem perguntas sobre um problema específico em um estilo sequencial. Deixe todas as suposições de lado. O objetivo é trazer "novos pontos de vistas por meio de novas questões".

2.   Envolva a cabeça e coração

Escolha um problema que sua equipe se preocupa e quer resolver. Certifique-se que a "oportunidade", ou o problema (se você não é um otimista) realmente já não tem uma solução.

3.   Pergunte tudo

Use esse tempo para apenas fazer perguntas. Gregerson chama isso de "conversa de puro questionamento” Um membro da equipe escreve textualmente cada pergunta que é feita. Não devolva com respostas. Basta manter as perguntas seguintes. Seu objetivo deve ser o de recolher de 50 a 75 questões e fazer com que cada uma seja melhor que a anterior. Não desista. Estimule as pessoas quando a mente ficar “em branco” e faça perguntas mais provocativas. Você precisará de paciência e persistência para esgotar a “capacidade” de questionamento do seu grupo. O exercício deve levar de 10 a 20 minutos.

4.   Encontre o catalisador

Dê u passo para trás e identifique a maioria das perguntas "catalisadoras". Estas são as perguntas que o grupo não pode responder, aquelas que "perturbam o status quo" se você respondê-las. Você deve, então, reduzir a sua lista para três ou quatro.

5.   Encontre respostas

Agora que você tem uma questão focada para um problema específico, é hora de resolvê-lo. Esta etapa será diferente para cada empresa, dependendo de como você gostaria de obter informações. Se você gosta de observar, vá a campo e "sistematicamente observe" para obter respostas. Ou você pode obter novas ideias em rede de relacionamento, converse com os diversos grupos que não pensam e agem como você para obter novas perspectivas. Então, comece o trabalho em poucos protótipos que sejam “rápidos, baratos, experiências virtuais” e obtenha feedback sobre qual deles poderia ser o melhor.

Após essas etapas, reúna novamente a equipe com as respostas que surgiram e o brainstorming. Gregersen diz que você deve reunir "toda a sua nova entrada" para criar uma melhor solução melhor. Se necessário, repita.


REFERÊNCIAS:

Tradução e adaptação do texto original de:

YACOWICZ, Will.  Get All Your Employees to Ask Questions: 5 Steps. Inc. Magazine.  Disponível em <  http://www.inc.com/will-yakowicz/employees-innovation-ask-questions.html > Acessado em 24 de Jul. de 2013.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Significado Prático do 5S

Gerisval Alves Pessoa*
Daniel da Silva Jatahy**
Conceito de 5S


È um programa de educação e treinamento que busca a mudança no comportamento e nos hábitos das pessoas, de maneira simples e ao mesmo tempo revolucionária, por meio da prática de ações de melhorias contínuas no ambiente de trabalho e no gerenciamento do dia a dia das organizações.

Tem como objetivo principal preparar uma empresa, um departamento, um bairro, uma escola, uma cidade ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente, por meio do envolvimento das pessoas e do trabalho em equipe.

Os 5S são uma derivação de cinco palavras de origem japonesa adaptadas para o português conforme descritas abaixo:


- Seiri: Senso de Utilização
- Seiton: Senso de Ordenação
- Seisou: Senso de Limpeza
- Seiketsu: Senso de Higiene, Saúde ou Bem Estar
- Shitsuke: Senso de Autodisciplina

Mas para torná-lo simples, é necessário que entendamos de forma prática o conceito de cada senso e que o torne uma ferramenta para ser utilizada …

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…

Série Ferramentas de Gestão: Diagrama do Processo Decisório

Diagrama do Processo Decisório ou PDPC (Process Decision Program Chart)

O Diagrama PDPC procura não apenas antecipar possíveis desvios de rota, mas também desenvolver medidas alternativas que previnam a ocorrência de desvios e atuem satisfatoriamente caso ocorram desvios de rota
O PDPC procura também, desenvolver planos de contingências / planos alternativo para lidar com as incertezas.
Deve-se usá-lo quando:
1.A tarefa é nova ou única; 2.O plano de implementação é complexo e difícil execução; 3.A eficiência de implementação é crítica. 4.Projeto de instalação de uma nova máquina ou intervenção de manutenção 5.Desenvolvimento e introdução de novos produtos
O PDPC pode também, ser usado para mostrar a cadeia de eventos que levam a um resultado indesejável.
Roteiro para Construção:
O Diagrama do Processo Decisório (DPD) é construído nas seguintes etapas:
• Fluxo básico • Macro-DPD • Micro-DPD

Roteiro Básico:
1.Definir os pontos de partida e de chegada 2.Traçar um plano otimista  3.Pensar sobre fatos qu…