Pular para o conteúdo principal

Série Ferramentas de Gestão: Plano de Ação

Plano de Ação

 É uma ferramenta para se utilizar na elaboração e gerenciamento de planos, podendo ser utilizada, também, na padronização. Na fase (P) - Plano de ação do PDCA, o Plano de Ação (3W, 5W1H ou 5W2H), é usado para propor soluções para o problema, baseado na observação, análise e no conhecimento técnico do processo.

Quando a não conformidade e suas causas já forem conhecidos, resta determinar as ações, medidas, ou estratégias que garantam o alcance dos objetivos desejados.

Modelos mais comuns:

Plano Simplificado (3W)

-       What (O que) – Ações ou contramedidas a serem implementadas para eliminar a(s) causa(s) de um problema
-       Who (Quem) – Pessoa responsável para implementação da ação
-       When (Quando) – Prazo para implementação da ação

Este modelo é indicado geralmente para iniciantes ou para problemas simples.

A Figura 1 apresenta um modelo de um plano de ação simplificado


 Plano de Ação (5W1H)


O 5W1H é geralmente indicado para problemas ou projetos mais complexos que necessitam de maiores detalhamentos.

-       What (O que) – Ações ou contramedidas a serem implementadas para eliminar a(s) causa(s) de um problema
-       Who (Quem) – Pessoa responsável para implementação da ação
-       When (Quando) – Prazo para implementação da ação
-       Where (Onde) – Local físico da implementação a ação
-       Why (Por que) – Justificativa de cada ação
-       How (Como) – Procedimento/Detalhamento de cada ação

A Figura 2 apresenta o detalhamento dos 5W1H



 Plano de Ação (5W2H)

O 5W2H é uma derivação do plano de ação 5W1H acrescido de mais 1H - How much (quanto custa) geralmente indicado quando se deseja levantar o orçamento do projeto ou para eliminar o problema, detalhado pelo custo de cada ação.

Dicas para a construção / preenchimento do Plano de ação 5W2H

  1. No campo What (O que) relacionar as ações que se deseja implementar, começando sempre com um verbo no infinitivo: construir, comprar, treinar, soldar, testar, por exemplo.
Exemplo: Elaborar o desenho técnico para a confecção do dispositivo de segurança da furadeira L32

  1. No campo Who (Quem) indicar o responsável pelo desenvolvimento da ação.
Exemplo: Paulo Rogério

  1. No campo When (Quando) indicar a data prevista para a conclusão do desenvolvimento da ação. Se optar por um cronograma, identificar a data de início e de término da ação.
Exemplo: 30/05/2011

  1. No campo Where (Onde) relacionar o local de desenvolvimento da ação.
Exemplo: Na engenharia de manutenção

  1. No campo Why (Por que) relacionar o motivo pelo qual a ação vai ser realizada geralmente começa com a palavra para. Pode estar relacionado ao aspecto da causa que está sendo atacada.
Exemplo: Para dimensionar todas as partes do dispositivo evitando assim o erro na confecção e também manter dados históricos

  1. No campo How (Como) relacionar de forma resumida como a ação será executada começando, normalmente, com o verbo no gerúndio: ligando, analisando, por exemplo.
Exemplo: Reunindo com o desenhista da engenharia e passando para ele todas as medidas necessárias.

  1. No campo How much (Quanto custa) relacionar o custo necessário para cada ação.
Exemplo: R$ 500,00

Na elaboração do plano devem ser consideradas as precedências entre as ações e as possíveis contingências.

Pronto, com estas dicas você já está apto a elaborar o seu plano de ação. Porém, após a sua elaboração é necessário que haja uma validação para saber se como a implementação de todas as ações o problema será resolvido definitivamente ou a meta será atingida.

REFERÊNCIAS

PESSOA, Gerisval A. Notas de aula da disciplina PDCA e Seis sigma: metodologia e ferramentas da qualidade . São Luís: FAMA, 2010.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Significado Prático do 5S

Gerisval Alves Pessoa*
Daniel da Silva Jatahy**
Conceito de 5S


È um programa de educação e treinamento que busca a mudança no comportamento e nos hábitos das pessoas, de maneira simples e ao mesmo tempo revolucionária, por meio da prática de ações de melhorias contínuas no ambiente de trabalho e no gerenciamento do dia a dia das organizações.

Tem como objetivo principal preparar uma empresa, um departamento, um bairro, uma escola, uma cidade ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente, por meio do envolvimento das pessoas e do trabalho em equipe.

Os 5S são uma derivação de cinco palavras de origem japonesa adaptadas para o português conforme descritas abaixo:


- Seiri: Senso de Utilização
- Seiton: Senso de Ordenação
- Seisou: Senso de Limpeza
- Seiketsu: Senso de Higiene, Saúde ou Bem Estar
- Shitsuke: Senso de Autodisciplina

Mas para torná-lo simples, é necessário que entendamos de forma prática o conceito de cada senso e que o torne uma ferramenta para ser utilizada …

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…

Série Ferramentas de Gestão: Diagrama do Processo Decisório

Diagrama do Processo Decisório ou PDPC (Process Decision Program Chart)

O Diagrama PDPC procura não apenas antecipar possíveis desvios de rota, mas também desenvolver medidas alternativas que previnam a ocorrência de desvios e atuem satisfatoriamente caso ocorram desvios de rota
O PDPC procura também, desenvolver planos de contingências / planos alternativo para lidar com as incertezas.
Deve-se usá-lo quando:
1.A tarefa é nova ou única; 2.O plano de implementação é complexo e difícil execução; 3.A eficiência de implementação é crítica. 4.Projeto de instalação de uma nova máquina ou intervenção de manutenção 5.Desenvolvimento e introdução de novos produtos
O PDPC pode também, ser usado para mostrar a cadeia de eventos que levam a um resultado indesejável.
Roteiro para Construção:
O Diagrama do Processo Decisório (DPD) é construído nas seguintes etapas:
• Fluxo básico • Macro-DPD • Micro-DPD

Roteiro Básico:
1.Definir os pontos de partida e de chegada 2.Traçar um plano otimista  3.Pensar sobre fatos qu…