Pular para o conteúdo principal

10 coisas que os líderes precisam aprender a fazer



Os líderes de negócios não existem do nada. O sucesso é sempre em relação à concorrência. Você pode ter um ótimo produto, serviço, conceito, estratégia, equipe, qualquer que seja, mas se ele não superar seus concorrentes de uma maneira que seja significativa para seus clientes, você acabará por perder.

Essa é a regra número um no mundo dos negócios: Não existem verdades absolutas, tudo é em relação à concorrência.

Você pode ficar na multidão e ainda continuar no negócio, mas se quer ser um empreendedor, executivo ou líder empresarial de sucesso, há certas coisas que você simplesmente deve aprender a fazer.

A primeira é manter-se no topo da competição. Aqui estão mais nove. Tente eliminar as que você não gostar, mas não vai funcionar.

1.   Aprenda com a experiência. A experiência é o melhor professor, mãos para baixo. Não apenas sua própria experiência, mas ideias de outras partes, também. O ex-chefe da Intel Andy Grove foi um mentor para Steve Jobs. Jobs, por sua vez, aconselhou fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin. A experiência é como uma enorme cascata, uma fonte inesgotável de sabedoria e conhecimento.

2.   Priorize e delegue. De acordo com Fred Wilson, da Union Square Ventures, um CEO deve se concentrar em fazer apenas três coisas e delegar o resto: "Definir e comunicar a visão e a estratégia geral da empresa, recrutar, contratar e reter os melhores talentos, e certifique-se que há sempre bastante dinheiro no banco". Suas três coisas serão diferentes, mas ainda assim, as poucas coisas que você focar, terá maior chances de fazê-las.

3.   Dê seguimento às decisões inteligentes. Isso pode parecer simples, mas, estranhamente, é onde até mesmo os líderes bem sucedidos são os mais propensos a falharem.

4.   Envolva as principais partes interessadas. As principais partes interessadas de um CEO são os clientes, empregados e investidores. Os seus, provavelmente, são diferentes. Não importa. Você deve envolvê-los em uma base regular. Diga-lhes o que eles precisam saber e dê-lhes o que necessitam. Faça perguntas importantes e realmente ouça o que eles dizem. Motive-os. Sim, eu sei que não é fácil fazer tudo isso, mas é o que é preciso para ser o líder.

5.   Promova os vencedores e desligue os perdedores. Cada organização tem empregados que você não pode perder e aqueles que você não pode dar ao luxo de manter. Aprenda a identificá-los. Promover e motivar o primeiro e livrar-se deste último. É chamado de capina e alimentação. O resultado é uma organização bela.

6.   Preste atenção aos números. Se os seus clientes adoram seus produtos e serviços, seus empregados são eficazes e engajados e você está fazendo um bom trabalho de executar o negócio, isso vai aparecer nos números. Demonstrações de resultados e balanços fornecem métricas-chave da saúde do seu negócio, especialmente comparações ano a ano.

7.   Solucione problemas difíceis. A vida dos negócios está cheio de problemas realmente difíceis e dilemas difíceis. Há questões de produto, questões técnicas, questões organizacionais, as questões dos clientes, a lista crescerá. Você não tem que ser Sócrates, mas ajude se você é um pensador crítico que tem a competência de capacidade analítica.

8.   Nunca desista, nunca se renda. Coragem diante da adversidade, perseverança, lealdade, estas são qualidades que todo grande líder. Eles nunca desistem.

9.   Negocie de forma eficaz. Tem muitas pessoas que odeiam negociar, mas nunca ouvi falar isso de um CEO. É um dos aspectos mais fundamentais do negócio. Pense nisso como um desafiante jogo de estratégia.

REFERÊNCIAS:

Tradução e adaptação do texto original de:

TOBAK, Steven.  10 Things leaders must learn to do. Inc. Magazine.  Disponível em <  http://www.inc.com/steve-tobak/10-things-leaders-must-learn-to-do.html> Acessado em 27 de Jul. de 2013.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Significado Prático do 5S

Gerisval Alves Pessoa*
Daniel da Silva Jatahy**
Conceito de 5S


È um programa de educação e treinamento que busca a mudança no comportamento e nos hábitos das pessoas, de maneira simples e ao mesmo tempo revolucionária, por meio da prática de ações de melhorias contínuas no ambiente de trabalho e no gerenciamento do dia a dia das organizações.

Tem como objetivo principal preparar uma empresa, um departamento, um bairro, uma escola, uma cidade ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente, por meio do envolvimento das pessoas e do trabalho em equipe.

Os 5S são uma derivação de cinco palavras de origem japonesa adaptadas para o português conforme descritas abaixo:


- Seiri: Senso de Utilização
- Seiton: Senso de Ordenação
- Seisou: Senso de Limpeza
- Seiketsu: Senso de Higiene, Saúde ou Bem Estar
- Shitsuke: Senso de Autodisciplina

Mas para torná-lo simples, é necessário que entendamos de forma prática o conceito de cada senso e que o torne uma ferramenta para ser utilizada …

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…

Série Ferramentas de Gestão: Diagrama do Processo Decisório

Diagrama do Processo Decisório ou PDPC (Process Decision Program Chart)

O Diagrama PDPC procura não apenas antecipar possíveis desvios de rota, mas também desenvolver medidas alternativas que previnam a ocorrência de desvios e atuem satisfatoriamente caso ocorram desvios de rota
O PDPC procura também, desenvolver planos de contingências / planos alternativo para lidar com as incertezas.
Deve-se usá-lo quando:
1.A tarefa é nova ou única; 2.O plano de implementação é complexo e difícil execução; 3.A eficiência de implementação é crítica. 4.Projeto de instalação de uma nova máquina ou intervenção de manutenção 5.Desenvolvimento e introdução de novos produtos
O PDPC pode também, ser usado para mostrar a cadeia de eventos que levam a um resultado indesejável.
Roteiro para Construção:
O Diagrama do Processo Decisório (DPD) é construído nas seguintes etapas:
• Fluxo básico • Macro-DPD • Micro-DPD

Roteiro Básico:
1.Definir os pontos de partida e de chegada 2.Traçar um plano otimista  3.Pensar sobre fatos qu…