segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Para obter mais feedback, seja mais receptível aos comentários



É difícil dizer quem teme mais feedback crítico: o líder que o repassa ou a pessoa que o recebe. Como o receptor, pode ser desconfortável e estressante saber que não está desempenhando bem suas funções. E o líder, sabendo disso, teme que o receptor possa reagir de forma não receptiva e, portanto, é provável que adie o compartilhamento seu ponto de vista.

Mas, todos nós precisamos e queremos feedback. Isso ajuda a melhorar nossas atividades e crescermos em nossas carreiras. Por isso, mostre ao seu líder que está disposto a ouvir e agir no feedback. Quanto mais o seu líder o perceber como uma pessoa que implementa as orientações efetivamente, é mais provável que ele assuma o risco e tenha tempo para lhe dar seu feedback.

Então, o que você pode fazer para aumentar a percepção do seu líder de sua receptividade aos comentários e conselhos? Aqui estão algumas sugestões.

1.    Solicite feedback. Sinalize ao seu líder que gostaria de receber seus comentários e conselhos. Você também pode compartilhar algumas preferências a respeito de quando o feedback seria mais útil. É preciso que os comentários sejam ouvidos de forma construtiva, portanto, não podem ser repassados a qualquer hora.

2.    Seja grato. Agradeça a seu líder pelo feedback. Mas, se for difícil agradecer, diga algo assim: "Eu tenho trabalhado muito nesta tarefa e realmente estava esperando um retorno positivo, por isso é difícil agora ao ouvir que existem algumas coisas que eu poderia ter feito melhor. Mas, ouvir de você que há poucas coisas que ocorrem bem, sou grato por isso. Também estou plenamente consciente que o feedback recebido vai me ajudar a melhorar cada vez mais. Então, eu não posso sentir emocionado agora, mas valorizo muito o seu feedback e eu vou trabalhar nisso".

3.    Tenha em mente que nenhum líder é perfeito. Sim, talvez seu líder poderia ter dito isso de maneira mais agradável ou de uma forma mais perspicaz ou talvez ele poderia ter escolhido melhor horário e local – mas, quando você se sentir frustrado, considere a perspectiva de seu líder:

-       Os líderes nem sempre têm tempo suficiente para esclarecer perfeitamente os seus pensamentos. Eles poderiam ter pensado mais sobre isso, porém, teriam atrasado mais o feedback e, em algum momento haverá troca entre qualidade e tempo.
-       Os líderes têm tempo e energia limitados em função de uma multiplicidade de tarefas. Dar feedback é apenas uma dessas tarefas, e você provavelmente seja uma das várias pessoas que ele precisa dar feedback.
-        Os líderes estão sob pressões de suas próprias responsabilidades. Claro, seu líder poderia ter dado mais atenção, mas se você olhar para ele com alguma empatia por sua carga de trabalho, pode ajudá-lo a perceber que, dadas as circunstâncias, o seu líder fez um esforço louvável.

4.    Não seja defensivo. Nunca discuta com o emissor do feedback. Não se concentre na parte do feedback que não faz sentido para você agora.  Considere o feedback e pergunte-se se poderia haver um fundo de verdade, se não a partir do seu ponto de vista, talvez do ponto de vista do seu líder? No mínimo, esta discrepância pode ajudá-lo a perceber que seu líder tem uma opinião diferente sobre a situação ou que você e as expectativas do seu líder não estão alinhadas. Se depois de cuidadosa reflexão e tentativas de troca de perspectivas, você ainda não concordar ou entender o feedback recebido, encontre uma maneira construtiva para pedir explicações adicionais. Por exemplo, você pode dizer algo como: "Você me disse algumas vezes para [fazer isso em vez disso]. Sou grato pelo feedback, e realmente gostaria de trabalhar nisso, porque se é importante para você, então é importante para mim. Meu desafio é que eu estou tendo alguma dificuldade [explicar o que você não entende]. Você poderia me ajudar com isso? Você poderia acrescentar algumas palavras sobre o que é que você espera? "

5.    Aja sobre os comentários. Não há nada mais frustrante para os líderes do que repetir o mesmo conselho repetidamente. Pouquíssimos de nós gostamos de ser um imperceptível. Além disso, para muitos líderes, ter empregados desconsiderando o feedback parece uma falta de respeito pela sua própria competência.

6.    Coloque-se no lugar dele. Em caso de dúvida, pergunte-se que tipos de comportamentos seus próprios empregados podem mostrar que iria aumentar a sua vontade e capacidade de dar-lhes feedback de forma mais construtiva. Aposto que um grande número de itens aparecerá na sua lista. Em seguida, considere estes comportamentos no contexto do que você sabe sobre seu líder. Qual destes é provável que importa para eles? O que particularmente seu líder valoriza quando se trata de dar feedback?

Quanto mais o seu líder acredita que você vai fazer bom uso do feedback, mais feedback você receberá. E ainda mais: Você também terá uma resposta mais positiva e construtiva. Se ele o perceber como valoriza o seu feedback e estar disposto e capaz de agir sobre os seus comentários, ele será susceptível de ser mais paciente, apreciativo, e apoio aos seus esforços. Pense nisso: Quando seus empregados reconhecem suas imperfeições e claramente trabalham nelas, tentando integrar as suas sugestões e comentários, não é que você será um pouco mais paciente com eles? Quando, apesar do esforço considerável eles falharem um pouco, você vai orientá-los ou incentivá-los e elogiá-los do seu esforço e adicionar uma sugestão ou duas?

É verdade que alguns líderes são pessoas irracionais e igualmente matadores de oportunidades com sua paciência zero para nada menos do que a perfeição. Mas, atualmente esse tipo de líderes é uma minoria significativa. A maioria dos líderes vai lhe dar mais feedback se você o tornar mais gratificante em recebe-los. E quanto mais você for aberto aos comentários e sugestões, é provável que o feedback seja de apoio e incentivo.

REFERÊNCIAS:

Tradução e adaptação do texto original de:

MANZONI, Jean-François. To get more feedback, act more coachable. HBR – Harvard Business Review. Disponível em < https://hbr.org/2016/09/to-get-more-feedback-act-more-coachable > Acessado em 24 de Set. de 2016.

domingo, 15 de novembro de 2015

As 3 piores palavras que você nunca deveria dizer no trabalho



Existem três palavras que podem fazer as pessoas perderem o respeito por você em questão de segundos. Então, quais são as três palavras e por que são tão tóxicas?

Elas são "você está errado", ou de uma forma mais suave “eu não concordo” e se você as usar, garanto que há uma trilha de ressentimento a segui-lo. Esse ressentimento pode ser de colegas de trabalho, empregados, colegas e até mesmo clientes.

Toda vez que ouço alguém pronunciar estas três palavras, posso quase sentir a raiva crescendo e o crescente ressentimento da pessoa na extremidade da recepção.

Pode não ser óbvio para a pessoa que está dizendo isso, mas elas podem machucar alguém em um piscar de olhos, especialmente se é dito com uma pitada de agressão por trás delas.

Dizer "você está errado" quebra praticamente todas as regras de qualidade da interação humana. Ninguém quer se sentir como elas estão erradas e, pior ainda, ser dito que elas estão erradas acrescenta insulto à injúria.

Se as pessoas dizem isso no local de trabalho, bem, isso é apenas errado. Pessoalmente acredito que as pessoas que têm essa frase em seu repertório de "feedback pessoal" tendem a olhar o processo ou as pessoas de forma imatura cada vez que as usam.

Para começar, em sua opinião, que poderia ser você quem está errada, o que não significa que seja verdade, é apenas uma opinião. Em segundo lugar, mesmo se alguém esteja claramente errada, apontá-la como tal não faz muito bem, muito pelo contrário, a faz sentir-se pequena.

E, finalmente, dizer a alguém "você está errada" faz com que a pessoa quer provar que ela está certa, o que pode levar a argumentos, ou ainda pior, uma missão de ressentido para provar que o acusador está errado. O ciclo continua e todo mundo perde.

Da próxima vez que você vê alguém proferir as palavras "você está errado", pare um segundo para ver como estas palavras fazem você se sentir, mesmo que elas não sejam dirigidas a você. Da mesma forma, se você usar essas palavras, depois de serem ditas sinta o clima da conversa ficar escuro. É melhor terminar a conversa por aí.

Esta é apenas uma frase, é claro, e há outras que têm impacto considerável, de forma negativa. O mundo está se movendo em direção a uma maior conexão e envolvimento e a forma de falar com outras pessoas está se tornando cada vez mais importante; precisamos ter muito cuidado com o que falamos em cada interação.

Todos nós temos palavras que nos foram ditas durante a nossa vida e que a gente nunca esquece. Ter alguém em uma posição de autoridade e respeito que aponta um dedo e diz "você está errado" é certamente uma daquelas experiências que vão ficar na sua memória por um longo tempo.

Mesmo que a pessoa esteja errada ou você não concorde com a opinião dela, experimente dizer:  “Na minha opinião…”, soa bem melhor e não é tóxica. É apenas uma opinião.

REFERÊNCIAS: 

GRIFFITHS, Andrew. The 3 worst words you could ever say at work. Business Insider < http://www.businessinsider.com/the-3-worst-words-to-say-at-work-2015-11 > Acessado em 15 de Nov. 2015.

domingo, 1 de novembro de 2015

2 Fatores de estresse relacionados ao trabalho que podem fazer com que você morra mais cedo



Um relatório, usando dados de seguradoras, que os empregados de cargos gerenciais vivem mais que os empregados da linha de frente.

Outro estudo confirmou que os empregados de alta renda têm maior expectativa de vida do que os de baixa renda.

O tipo de trabalho pode contribuir ou prejudicar a sua longevidade? Se sim, como?

Um novo estudo que analisa os efeitos do stress no local de trabalho sobre a vida humana oferece uma possível explicação.

Trabalhando a partir da premissa de que os empregos mais bem pagos estão associados a melhores resultados de saúde, uma equipe de pesquisadores da Harvard Business School e da Universidade de Stanford utilizou dados da pesquisa Social Geral e da Comunidade Americana para medir a influência condições prejudiciais do ambiente de trabalho sobre as disparidades na expectativa de vida.

Para calcular o estado de tensão emocional de um determinado local de trabalho, eles consideravam a probabilidade de ser demitido, a duração do tempo de trabalho, a opção de ter plano de saúde fornecido pelo empregador, e várias outras preocupações.

O estudo constatou que em locais de trabalho estressantes são mais prováveis que os empregados morram mais cedo, embora o tamanho do efeito diferiu com base na raça e escolaridade.

O efeito é menor para as pessoas bem-educadas: 5% a 10% de sua mortalidade foi associada à exposição a esses fatores estressantes no local de trabalho, enquanto para aqueles com menos escolaridade, o efeito foi entre 12% e 19%.

As pessoas brancas apresentaram a menor perda da expectativa de vida, como resultado de estresse no trabalho, mas havia exceções quando os dados foram desagregados por gênero e educação: As expectativas de vida das mulheres latino-americanas com um diploma universitário não eram tão diminuídas pelo estresse no local de trabalho como os das mulheres brancas com a mesma formação educacional eram.

Mas, para todos os grupos demográficos, dois fatores específicos relacionados à carreira têm maior relação na redução da expectativa de vida: Ser demitido (a qualquer momento) e falta de plano de saúde.

Os resultados sugerem que as políticas para incentivar ambientes psicossociais do trabalho mais saudáveis, especialmente para trabalhos susceptíveis de serem absorvidos pelos grupos demográficos mais desfavorecidos devem ser seriamente consideradas como parte de uma estratégia global que visa reduzir a extensão dessas desigualdades na saúde.


REFERÊNCIAS: 

Tradução e adaptação do texto original de:

LAM, B. These 2 work-related stressors could make you die sooner.  Business Insider. Disponível em< http://www.businessinsider.com/these-2-work-related-stressors-could-make-you-die-sooner-2015-10? > Acessado em 01 de Ago. 2015