Pular para o conteúdo principal

7 maneiras de melhorar os programas de desenvolvimento dos empregados



Investir corretamente em programas de aprendizagem e de desenvolvimento nunca foi tão importante, ou mais um desafio para os líderes empresariais.

Infelizmente, apesar de se gastar muito em programas de aprendizagem e desenvolvimento, muitos executivos ainda lidam com a forma de melhorar e aumentar a sua eficácia. Portanto, a necessidade de renovar e melhorar os programas de aprendizagem é uma preocupação importante entre os executivos de RH.

Para entender melhor este problema, a empresa de consultoria americana Ferrazzi Greenlight fez uma avaliação completa de pesquisas recentes sobre os programas de aprendizagem e desenvolvimento, seguida por uma pesquisa estruturada com os altos executivos de treinamento em 16 grandes empresas em um conjunto diversificado de indústrias, variando em tamanho de 1 até 55 bilhões de dólares em receitas anuais. Para entender como os provedores de treinamento e desenvolvimento visualizam estes desafios, também foram entrevistados líderes de programas de educação executiva várias das principais universidades.

A partir desta pesquisa, foram observados sete desafios que as empresas devem vencer para criarem programas de desenvolvimento que realmente funcionam:

1.    Acenda a paixão dos gestores para orientar os seus empregados.

Historicamente, os gestores repassavam conhecimentos e habilidades por meio de coaching e mentoring. Mas, em nosso complexo, mais global e competitivo mundo, o papel do gerente tem-se deteriorado. Os gerentes estão agora sobrecarregados com outras responsabilidades. Eles mal podem lidar com o que está sendo cobrado diretamente, deixando de lado as atividades de coaching e mentoring. As organizações precisam apoiar e incentivar os gestores a realizarem este trabalho.

2.    Lidar com a curta vida útil das necessidades de aprendizagem e desenvolvimento.

No passado o conhecimento adquirido costumava ser valioso por anos, mas agora, conhecimentos e habilidades podem se tornar obsoletos em poucos meses. Isso faz com que a necessidade de aprender rapidamente e regularmente seja mais importante do que nunca. Isto exige que as organizações repensem como a aprendizagem e o desenvolvimento acontecem ocasionalmente a partir de uma atividade, para uma forma mais contínua. Evitar a sobrecarga de informação é vital, as organizações devem encontrar um equilíbrio entre dar a informação certa contra dar de forma demasiada.

3.    Ensine os empregados a desenvolverem sua própria carreira.

Programas de aprendizagens únicos, altamente estruturados, não funcionam mais. Os indivíduos devem ser donos e ter controle de suas aprendizagens futuras. No entanto, eles não podem fazê-los sozinhos, nem você quer que seja. O desenvolvimento e crescimento do seu talento é vital para o seu sucesso contínuo, a capacidade de inovar, e a produtividade geral. É um equilíbrio delicado, precisamos ter soluções personalizadas para os indivíduos, proporcionando simultaneamente eficiências de escala e redução de custos em toda a organização.

4.    Forneça opções de aprendizagem flexíveis.

Os empregados precisam se envolver em mais atividades de aprendizagem e desenvolvimento mesmo com sua alta carga de trabalho e muitas vezes deixá-los sentir sobrecarregados e consumidos pela pergunta: "Quando e como vou encontrar o tempo?" As empresas devem responder ao adotar soluções sob demanda e flexíveis que tornam as oportunidades de aprendizagem mais acessíveis para o seu povo.

5.    Atenda às necessidades de aprendizagem para as equipes virtuais.

Enquanto a maioria das organizações tem mais pessoas trabalhando remotamente e virtualmente, isto exige mais reflexão e criatividade em como treinar neste segmento de sua força de trabalho. Isso inclui tipos formais de aprendizagem através de cursos, mas também os canais informais de mentoring e coaching. Só porque os empregados estejam trabalhando remotamente, não significa que sejam esquecidos quando se trata de aprendizagem e desenvolvimento.

6.    Construa confiança na liderança organizacional.

As pessoas anseiam transparência, abertura e honestidade de seus líderes. Infelizmente, os líderes empresariais continuam a enfrentar questões de confiança. De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Americana de Psicologia, um em cada quatro empregados diz que não confia em seu empregador, e apenas cerca da metade acreditam que seus empregadores são abertos e francos com eles. Se os líderes estão desengajados ou se recusam a compartilhar suas próprias jornadas de aprendizagem, como podem esperar que seu povo se mantenha entusiasmados? É o velho ditado de "liderar pelo exemplo." Se os gestores querem que seus empregados participem da aprendizagem e do desenvolvimento, então eles precisam mostrar que estão buscando ativamente suas próprias jornadas de aprendizagem também.

7.    Combine diferentes opções de aprendizagem com diferentes estilos de aprendizagem.

Com cinco gerações ativamente na força de trabalho, as organizações devem reestruturar a maneira como os empregados aprendem e as ferramentas e atividades que eles usam para combinar corretamente os diferentes estilos, preferências e expectativas dos colaboradores. Por exemplo, a geração Y vem de uma era que usa celulares, computadores e consoles de vídeo games, de modo que ela espera usar essas tecnologias para apoiar as suas atividades de aprendizagem.

Os líderes sabem o valor que os programas de aprendizagem e de desenvolvimento trazem para as organizações. Mas também, querem garantir que estão recebendo um alto retorno sobre o investimento. Ao compreender claramente as tendências emergentes nos programas de aprendizagem e desenvolvimento, vão posicionar melhor as empresas para selecionar as soluções certas para gerar resultados, aumentar o envolvimento dos empregados e aumentar a inovação e a produtividade.

REFERÊNCIAS:

Tradução livre e adaptação do texto original de:

FERRAZZI, K. 7 Ways to improve employee development programs. Harvard Business Review. Disponível em < https://hbr.org/2015/07/7-ways-to-improve-employee-development-programs > Acessado em 03 de Ago. 2015.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Significado Prático do 5S

Gerisval Alves Pessoa*
Daniel da Silva Jatahy**
Conceito de 5S


È um programa de educação e treinamento que busca a mudança no comportamento e nos hábitos das pessoas, de maneira simples e ao mesmo tempo revolucionária, por meio da prática de ações de melhorias contínuas no ambiente de trabalho e no gerenciamento do dia a dia das organizações.

Tem como objetivo principal preparar uma empresa, um departamento, um bairro, uma escola, uma cidade ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente, por meio do envolvimento das pessoas e do trabalho em equipe.

Os 5S são uma derivação de cinco palavras de origem japonesa adaptadas para o português conforme descritas abaixo:


- Seiri: Senso de Utilização
- Seiton: Senso de Ordenação
- Seisou: Senso de Limpeza
- Seiketsu: Senso de Higiene, Saúde ou Bem Estar
- Shitsuke: Senso de Autodisciplina

Mas para torná-lo simples, é necessário que entendamos de forma prática o conceito de cada senso e que o torne uma ferramenta para ser utilizada …

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…

Série Ferramentas de Gestão: Diagrama do Processo Decisório

Diagrama do Processo Decisório ou PDPC (Process Decision Program Chart)

O Diagrama PDPC procura não apenas antecipar possíveis desvios de rota, mas também desenvolver medidas alternativas que previnam a ocorrência de desvios e atuem satisfatoriamente caso ocorram desvios de rota
O PDPC procura também, desenvolver planos de contingências / planos alternativo para lidar com as incertezas.
Deve-se usá-lo quando:
1.A tarefa é nova ou única; 2.O plano de implementação é complexo e difícil execução; 3.A eficiência de implementação é crítica. 4.Projeto de instalação de uma nova máquina ou intervenção de manutenção 5.Desenvolvimento e introdução de novos produtos
O PDPC pode também, ser usado para mostrar a cadeia de eventos que levam a um resultado indesejável.
Roteiro para Construção:
O Diagrama do Processo Decisório (DPD) é construído nas seguintes etapas:
• Fluxo básico • Macro-DPD • Micro-DPD

Roteiro Básico:
1.Definir os pontos de partida e de chegada 2.Traçar um plano otimista  3.Pensar sobre fatos qu…