Pular para o conteúdo principal

Os três elementos necessários para construir uma equipe confiável



A maioria dos especialistas em produtividade afirma que poucos de nós realmente trabalhamos completamente sozinho, ou seja, com raras exceções, cada um de nós preenche uma lacuna em uma equipe focada em tarefas e projetos específicos. A produtividade da equipe é tão importante quanto a produtividade pessoal, se não mais, mas pode ser difícil de manter, uma vez que uma equipe de trabalho só pode ser tão forte quanto o seu elo mais fraco.

Assim, é de responsabilidade do líder da equipe reduzir ou eliminar alguma fraqueza identificada, para que possa construir um grupo de trabalho que possa se orgulhar.

Uma das maiores fraquezas nas equipes hoje é a falta de confiabilidade. Portanto, se uma empresa propõe a ajudar as pessoas a se tornarem mais produtivas, é necessário que as pessoas sejam confiáveis e façam o que prometeram a fazer. Quando você tem alguém que não faz o que promete em sua equipe, todo mundo sofre.

Cada líder tem encontrado pessoas não confiáveis​​, às vezes na cadeia de comando, às vezes dentro de um ambiente de equipe. Como você lida com eles define sua capacidade de liderança.

Os líderes devem agir como facilitadores, que limpam o caminho e exortam as pessoas a fazerem o que sabem que devem fazer, a fim de concluir o trabalho. Então, é necessário incentivar a confiabilidade por meio de esforços indiretos.

Os três pontos da confiabilidade

Como medir a sua equipe para garantir que todos alcancem e mantenham o máximo desempenho? Use o “triângulo do trabalho em equipe”, um sistema de medição baseado em três fatores equilátero. Todos os três devem estar presentes para a confiabilidade existir:

1.  Confiança e respeito mútuos: Todo mundo na equipe tem que confiar em todos os outros a fazerem o seu trabalho na hora certa, compartilharem livremente informações e tomarem decisões colaborativas. Respeito pelas ideias, opiniões e habilidades dos outros são uma necessidade absoluta. Se uma pessoa falta com a confiança e o respeito, a equipe funciona em um nível drasticamente reduzido e pode falhar. O crescimento da confiança e do respeito fortalece a confiabilidade geral.

2.  Resultados: Nada mais importa se sua equipe não pode gerar os resultados que os reuniram para produzir. Definir objetivos rápidos e difíceis, e mantenha justos todos os marcos e prazos. Estimule a equipe para superar os padrões mínimos permitidos para produzir algo verdadeiramente especial. Mantenha um olhar atento sobre o progresso da equipe e encontre maneiras de ajustá-lo para a produtividade máxima quando não conseguirem realizar o planejado.

3.  Comunicação: Sua equipe deve ser capaz de confiar em você para comunicar o “grande quadro” e seguir em frente. Seu papel como líder é fazer com que todos saibam o que você espera deles, quais são os objetivos do grupo e como seu trabalho deve ser realizado. Elimine todas as informações de atrasos, estrangulamentos e restrições, certificando-se que todos em sua equipe saibam tudo o que precisam para maximizar a produtividade da equipe. Uma comunicação eficaz depende de clareza, honestidade e confiança, ou seja, de confiabilidade.

Todos juntos agora

Todos os três fatores acima vão determinar o quão eficaz e confiável sua equipe é. Se qualquer lado do triângulo de trabalho em equipe perde força, toda a estrutura afunda, deixando-o fora do centro e imperfeito. Se você pode fazer todo o trabalho sozinho, você é de ouro, mas com isso terá um monte de trabalho.

De muitas maneiras, você é como um prato giratório de um equilibrista, sempre andando para trás e para a frente, batendo uma placa aqui e ali. Quando eles começam a oscilar, transferindo seu entusiasmo e energia suficientes para se certificar que tudo continua se movendo em um ritmo acelerado.

Em certa medida, os três lados do triângulo do trabalho em equipe reforçam-se mutuamente, mas um lado específico só pode ter tanta pressão ou fraqueza antes de entrar em colapso. Então você tem que ficar afiado, cutucando aqui, empurrando para lá, aumentando o giro em outro lugar, enquanto a equipe trabalha, assim você pode ficar como um exemplo brilhante de como fazer as coisas certas.

REFERÊNCIAS:       

Tradução e adaptação do texto original de:

STACK, Laura. The 3 elements needed to build a reliable workplace team. TLNT: The Business of HR.  Disponível em < http://www.tlnt.com/2013/10/01/the-3-elements-needed-to-build-a-reliable-workplace-team/?utm_source=TLNT&utm_campaign=d49b598dc7-tlnt-daily-the-3-elements-needed-to-build-a&utm_medium=email&utm_term=0_087d6f0c22-d49b598dc7-287621617#more-92431> Acessado em 11 de Out. 2013                                                           

Comentários

  1. Oi, eu dei uma lida, acho esse tipo de material bastante escasso na internet, mas a questão é que eu gostaria de saber como criar uma equipe confiável a distancia, tenho projetos que dependem muito disto e ainda não encontrei nada que possa me auxiliar a fazer isto, se puder fazer alguma indicação de conteúdo, ou uma grade de estudos que seja útil para o meu caso, eu agradeceria muito!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Significado Prático do 5S

Gerisval Alves Pessoa*
Daniel da Silva Jatahy**
Conceito de 5S


È um programa de educação e treinamento que busca a mudança no comportamento e nos hábitos das pessoas, de maneira simples e ao mesmo tempo revolucionária, por meio da prática de ações de melhorias contínuas no ambiente de trabalho e no gerenciamento do dia a dia das organizações.

Tem como objetivo principal preparar uma empresa, um departamento, um bairro, uma escola, uma cidade ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente, por meio do envolvimento das pessoas e do trabalho em equipe.

Os 5S são uma derivação de cinco palavras de origem japonesa adaptadas para o português conforme descritas abaixo:


- Seiri: Senso de Utilização
- Seiton: Senso de Ordenação
- Seisou: Senso de Limpeza
- Seiketsu: Senso de Higiene, Saúde ou Bem Estar
- Shitsuke: Senso de Autodisciplina

Mas para torná-lo simples, é necessário que entendamos de forma prática o conceito de cada senso e que o torne uma ferramenta para ser utilizada …

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…

Série Ferramentas de Gestão: Diagrama do Processo Decisório

Diagrama do Processo Decisório ou PDPC (Process Decision Program Chart)

O Diagrama PDPC procura não apenas antecipar possíveis desvios de rota, mas também desenvolver medidas alternativas que previnam a ocorrência de desvios e atuem satisfatoriamente caso ocorram desvios de rota
O PDPC procura também, desenvolver planos de contingências / planos alternativo para lidar com as incertezas.
Deve-se usá-lo quando:
1.A tarefa é nova ou única; 2.O plano de implementação é complexo e difícil execução; 3.A eficiência de implementação é crítica. 4.Projeto de instalação de uma nova máquina ou intervenção de manutenção 5.Desenvolvimento e introdução de novos produtos
O PDPC pode também, ser usado para mostrar a cadeia de eventos que levam a um resultado indesejável.
Roteiro para Construção:
O Diagrama do Processo Decisório (DPD) é construído nas seguintes etapas:
• Fluxo básico • Macro-DPD • Micro-DPD

Roteiro Básico:
1.Definir os pontos de partida e de chegada 2.Traçar um plano otimista  3.Pensar sobre fatos qu…