Pular para o conteúdo principal

4 maneiras de reduzir a ansiedade na avaliação de desempenho



Existem poucas coisas tão indutoras da ansiedade como uma avaliação de desempenho. Quero dizer, há algo sobre estarmos sentados em uma pequena sala vazia e “sem janelas”, sendo interrogado por nossos superiores nos confrontando com o que conseguimos ou não no ano passado, que realmente acelera a nossa pulsação, certo?

Eu sei, eu sei, isso não é o que acontece. Mas isso é, definitivamente, a visão que corre na nossa cabeça um segundo antes quando somos informados da nossa avaliação de desempenho. Sério, mesmo que tenhamos sido avaliados durante a maior parte de três décadas de nossa vida profissional, ela ainda induz um leve ataque de pânico a cada vez.

E enquanto nós provavelmente vamos se sentir da mesma forma até a nossa aposentadoria, eu também aprendi algumas técnicas ao longo dos anos para reduzir esse pânico. Se você também estiver propenso à ansiedade da avaliação de desempenho, tente estas estratégias para manter a calma.


1.   Receba as informações (e se prepare)

Você provavelmente terá mais pânico quando não sabe o que esperar em um determinado cenário. A avaliação de desempenho, por exemplo, poderia ser qualquer coisa, desde um de acordo em uma tela de um aplicativo de computador após uma conversa amigável com seu líder a uma reunião cansativa de longas horas de duração que se assemelha a execução por fuzilamento.

E, embora você provavelmente pudesse lidar com qualquer uma dessas coisas, uma avaliação é muito mais manejável quando você já sabe o que esperar. Sua mente pode focar menos no pânico sobre o desconhecido e mais em preparar seus pontos de discussão, a sua autoavaliação, ou de quaisquer outras estatísticas ou documentos que você precisará fornecer.

Então, uma vez que sua avaliação já está agendada no calendário anual da empresa, envie um simples e-mail para o seu líder pedindo os detalhes sobre como será a avaliação. "Você pode me dizer um pouco sobre o formato da minha avaliação? Há algo que eu deveria trazer ou preparar?" Funciona perfeitamente. Então, na verdade, reserve um pouco de tempo em sua agenda para se preparar.


2.   Lembre-se sempre que o feedback é uma coisa boa

Não é brincadeira, você pode ter uma avaliação do tipo: "Bem, você teve um grande ano! Isso é praticamente tudo que eu tenho a dizer". Meu líder então me contou sobre um próximo projeto, e eu estava fora dele em apenas 10 minutos.

Melhor avaliação de desempenho sempre, certo?

Não exatamente. Por não me dar uma correta avaliação, meu líder pode ter facilitado o meu temporário estado de pânico, mas, em longo prazo, ele estava me privando de um feedback que realmente me ajudaria a crescer. Ouvir a visão dele, com base em sua experiência acumulada no mundo da minha área de atuação, sobre o que achava que eu fiz bem, e quais novas habilidades e experiências que são necessárias para eu melhorar a minha performance, teria sido de valor inestimável.

O ponto é: feedback, especialmente como crítica construtiva, é uma coisa boa. E a sua avaliação é um grande momento para realmente obter e solicitar o feedback e conselhos que vão ajudá-lo a chegar ao próximo nível. Ao ir com a mentalidade de que você vai ter um feedback construtivo, e que vai ser uma boa coisa, você será capaz de enfrentar a reunião com confiança.


3.   Valorize-se

A menos que você realmente passou o ano procurando receitas ou coisas fúteis na internet, eu garanto que sua opinião não vai ser de todo ruim. Na verdade, eu aposto que você já realizou muito este ano que pode realmente se orgulhar.

Então, antes de sua análise, faça uma lista das coisas e grandes projetos que tenha participado e opiniões de clientes que você superou as expectativas deles. Por um lado, ter uma lista de suas realizações é uma ótima maneira de comunicar o seu valor para o seu líder durante a sua avaliação. Mas, ele tem um bônus: Ele vai lembrá-lo de tudo o que você alcançou este ano e dar-lhe confiança para enfrentar essa reunião.


4.   Elimine surpresas

A coisa mais reconfortante que um líder já me disse antes de uma avaliação foi: "Não se preocupe. Não haverá nenhuma surpresa".

Por isso, ele quis dizer que o feedback que estaria me dando na minha opinião seria um resumo de coisas que já tinha me dito ao longo do ano. Na verdade, grandes gestores não esperaram até a temporada crítica para “soltar as bombas” em você. Eles lhe dão feedback regularmente para ajudá-lo a entender o que você está fazendo bem e onde precisa melhorar para que você possa ajustar o curso da sua carreira, conforme necessário durante todo o ano.

Se você tem um gerente que faz isso, pode ter certeza que não terá muitas surpresas na sua avaliação. Mas, se o seu gerente não é desse tipo, tente ser pró-ativo e solicite feedback durante todo o ano. Peça ao seu líder uma avaliação mensal do seu desempenho para que você possa rever seus objetivos e seu progresso. Que ele saiba que você está comprometido com o crescimento profissional e gostaria de ter feedback regularmente, a fim de usar esse tempo para fazer perguntas como: "Existe alguma coisa que eu poderia fazer melhor?" "O ​​que você gostaria que eu fizesse até a próxima avaliação de desempenho?" “Estas são as áreas em que eu gostaria de crescer, estou focado nas metas corretas?"

Se você tem medo de feedback, essas conversas nem sempre são fáceis  para qualquer um, mas eu digo-lhe: Eles são muito melhores do que uma avaliação misteriosa.
 
Avaliações de desempenho nunca podem ser a sua reunião favorita do ano. Mas, se você sabe o que esperar, ir com a mentalidade certa e tentar eliminar as surpresas, verá que elas são mais produtivas e agradáveis do que jamais imaginou ser possível.

REFERÊNCIAS: 

Tradução e adaptação do texto original de:

LARSSEN, A. G. 4 Ways to kick performance review anxiety. The DailyMuse. Disponível em < http://www.thedailymuse.com/careeradvice/4-ways-to-kick-performance-review-anxiety/ > Acessado em 18 de Jul. 2013.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Significado Prático do 5S

Gerisval Alves Pessoa*
Daniel da Silva Jatahy**
Conceito de 5S


È um programa de educação e treinamento que busca a mudança no comportamento e nos hábitos das pessoas, de maneira simples e ao mesmo tempo revolucionária, por meio da prática de ações de melhorias contínuas no ambiente de trabalho e no gerenciamento do dia a dia das organizações.

Tem como objetivo principal preparar uma empresa, um departamento, um bairro, uma escola, uma cidade ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente, por meio do envolvimento das pessoas e do trabalho em equipe.

Os 5S são uma derivação de cinco palavras de origem japonesa adaptadas para o português conforme descritas abaixo:


- Seiri: Senso de Utilização
- Seiton: Senso de Ordenação
- Seisou: Senso de Limpeza
- Seiketsu: Senso de Higiene, Saúde ou Bem Estar
- Shitsuke: Senso de Autodisciplina

Mas para torná-lo simples, é necessário que entendamos de forma prática o conceito de cada senso e que o torne uma ferramenta para ser utilizada …

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…

Série Ferramentas de Gestão: Diagrama do Processo Decisório

Diagrama do Processo Decisório ou PDPC (Process Decision Program Chart)

O Diagrama PDPC procura não apenas antecipar possíveis desvios de rota, mas também desenvolver medidas alternativas que previnam a ocorrência de desvios e atuem satisfatoriamente caso ocorram desvios de rota
O PDPC procura também, desenvolver planos de contingências / planos alternativo para lidar com as incertezas.
Deve-se usá-lo quando:
1.A tarefa é nova ou única; 2.O plano de implementação é complexo e difícil execução; 3.A eficiência de implementação é crítica. 4.Projeto de instalação de uma nova máquina ou intervenção de manutenção 5.Desenvolvimento e introdução de novos produtos
O PDPC pode também, ser usado para mostrar a cadeia de eventos que levam a um resultado indesejável.
Roteiro para Construção:
O Diagrama do Processo Decisório (DPD) é construído nas seguintes etapas:
• Fluxo básico • Macro-DPD • Micro-DPD

Roteiro Básico:
1.Definir os pontos de partida e de chegada 2.Traçar um plano otimista  3.Pensar sobre fatos qu…