Pular para o conteúdo principal

Série Ferramentas de Gestão: FTA


FTA (Faut Tree Effect Analysis) - Análise de Árvore de Falha

FTA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:

-    Melhoria de um produto ou processo já em operação a partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio.
-           Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação.
-           Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.

A ferramenta FTA é um método padronizado de análise de falhas ou problemas, verificando como os mesmos ocorrem em um equipamento ou processo.

A Análise de Árvores de Falha (FTA) é um método sistemático e padronizado, capaz de fornecer bases objetivas para funções diversas tais como a análise dos modos comuns de falhas em sistemas, análise do projeto do sistema, para justificar mudanças e demonstrar atendimento a requisitos (de segurança) regulamentadores e/ou contratuais.

A FTA é uma análise dedutiva detalhada que usualmente requer considerável volume de informações sobre o sistema.
           
A FTA é uma representação gráfica, associada ao desenvolvimento de uma falha particular do sistema (efeito), chamada de evento de topo, e às falhas básicas (causas), denominadas de eventos primários. Por esse motivo, é considerada como uma ferramenta top down (de cima pra baixo).

A FTA é um processo lógico dedutivo que parte de um evento indesejado, buscando todas as combinações de “causas básicas” que podem levar à ocorrência desse evento.
§   Evento indesejado = EVENTO TOPO
§   Causas básicas     = EVENTOS BÁSICOS

A FTA é aplicável para projetos/plantas em operação e indica claramente os pontos fracos do Sistema.

 Observações:
-   É interessante fazer o FMEA antes da Árvore de Falha
-   Funciona do Sistema / Fronteira / FMEA / Eventos / Árvore de Falha

Deve se utilizada com as seguintes finalidades:

-    Estabelecer um método padronizado de análise de falhas ou problemas, verificando como ocorre em um equipamento ou processo.
-    Análise da confiabilidade de um produto ou processo
-    Compreensão dos modos de falha de um sistema de maneira dedutiva.
-    Priorização das ações corretivas que serão tomadas.
-    Análise e projeto de sistemas de segurança ou sistemas alternativos.
-    Compilação de informações para manutenção de sistemas alternativos de procedimentos de manutenção.
-    Indicação clara e precisa de componentes mais críticos ou condições críticas de operação.
-    Compilação de informações par treinamento na operação de equipamentos
-    Compilação de informações para planejamento de testes e inspeção.
-    Simplificação e otimização de equipamentos.

Fluxograma da Sequência de Procedimentos para a FTA

  1. Definir a equipe responsável pela execução
  2.  Selecionar o evento topo para análise
  3.  Coleta de dados
  4.  Definir quais são as interfaces ou fronteiras do sistema
  5.  Análise detalhada do sistema
  6.  Montagem preliminar da árvore de falhas
  7.  Revisão da árvore de falhas
  8.  Cálculo da probabilidade do evento de topo
  9.  Análise de recomendações
  10.  Reflexão sobre o processo


Helman e Andery (1995) apresentam a seguinte estrutura para a árvore de falhas (Figura 1)



Figura 1 – Estrutura da Árvore de Falhas

            A Figura 2 apresenta os símbolos de eventos utilizados na elaboração da árvore de falhas:

Figura 2 – Símbolos de eventos


A Figura 3 apresenta os símbolos de portas lógicas utilizados na elaboração da árvore de falhas:


Figura 3 – Símbolos de portas lógicas
A Figura 4 apresenta um exemplo de árvore de falhas:


Figura 4 – Exemplo de uma Árvore de Falha

REFERÊNCIAS


HELMAN, Horácio e ANDERY, Paulo R. P. Análise de falhas: aplicação dos métodos de fmea e fta. Série Ferramentas da Qualidade. v. 11. Belo Horizonte: FCO/EEUFMG, 1995.


PESSOA, Gerisval A. Notas de aula da disciplina PDCA e Seis sigma: metodologia e ferramentas da qualidade. São Luís: FAMA, 2010.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco habilidades que os supervisores de produção enxuta precisam

Os supervisores de produção enxuta  (lean production) sãomuitas vezesas engrenagensfundamentais noprocesso de melhoria das empresas. Estão na fronteira entre agestão da empresa eo “chão de fábrica”, lidam com questõesde entrega eajudam os seus subordinados a entregarem asmelhorias necessárias.
MikeWroblewski, diretor do Instituto Americano Kaizen, recentemente destacou cinco principais habilidadesexigidaspelos supervisores de produção enxuta necessárias para se sobressairem em suas funções:
1.Excelente conhecimento técnico.É essencialque ossupervisores de produção enxuta sejam um especialistasnas atividades sobre as quaiseles temresponsabilidade.Elesdevem conhecer osprocessos envolvidos de dentro para fora. 2.Conhecimento das responsabilidades de cada um. Parte desua interface com agestãorequer uma compreensão clara da descrição de cadacargo, de saberaspolíticas da empresa oude outras normas dolocal de trabalho.
3.Um especialista em Kaizen. O supervisor de produção enxuta deve teruma sóli…

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…