Pular para o conteúdo principal

Os limites de remuneração estão motivando ou desmotivando os empregados?

Um dos desafios na concepção e gestão da remuneração é a construção de programas que recompensam os empregados de forma justa, competitiva e de forma a envolverem-nos no sucesso da empresa - sem criar um sentimento de jurisprudência. Especialmente quando parece que o direito está ligado à nossa cultura.

Whitney Johnson (2012) “Luta pelos seus direitos, o assassino na inovação”, fala de todas as maneiras pelas quais nós inadvertidamente reforçamos um senso de direito, com nossos filhos, com nossos empregados, mesmo com nossos executivos. E ela aponta que a responsabilidade, e o ato de responsabilizar as pessoas, é o oposto direto do direito. Então, neste artigo, ela destaca uma reivindicação inovação e sobre a desvantagem de proteger as pessoas de limites e consequências: fronteiras e desafios podem nos fortalecer e encorajar.

Trazendo este pensamento para os programas de remuneração, os mesmos   tendem a ser cheios de limites. Eis alguns exemplos:

1.    Faixas salariais (Mensagem de limite subjacente: este é o salário fixo mais alto que estamos dispostos a pagar pelo trabalho que você está realizando atualmente).
2.    Objetivos de desempenho (mensagem de limite subjacente: seu desempenho não será considerado exceder expectativas, a menos que você realize X.)
3.    Diretrizes de aumento de salário (mensagem de limite subjacente: este é o maior aumento de salário que você pode ganhar em seu nível atual de desempenho.)
4.    Estrutura do plano de incentivos do grupo (Mensagem de limite subjacente: Nenhum prêmio será recebido a menos que a empresa obtenha um lucro líquido de X.)

A questão é a seguinte: estamos posicionando e comunicando esses limites de uma forma que dar poder e incentiva os empregados? Estamos apresentando esses limites de uma maneira que inspira os empregados a realizarem as coisas necessárias para ir além deles?


REFERÊNCIAS:

BARES, Ann. Are pay boundaries empowering or demotivating? TLNT –Talent Management and HR. Disponível em <https://www.eremedia.com/tlnt/are-pay-boundaries-empowering-or-demotivating/?>
Acessado EM 01 DE ABR DE 2017


JOHNSON, W. Battling Entitlement, the Innovation-Killer. Harvard Business Review, January, 12, 2012. Disponível em <  https://hbr.org/2012/01/battling-entitlement-the-innov >. Acessado em 01 de abr. de 2017.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Significado Prático do 5S

Gerisval Alves Pessoa*
Daniel da Silva Jatahy**
Conceito de 5S


È um programa de educação e treinamento que busca a mudança no comportamento e nos hábitos das pessoas, de maneira simples e ao mesmo tempo revolucionária, por meio da prática de ações de melhorias contínuas no ambiente de trabalho e no gerenciamento do dia a dia das organizações.

Tem como objetivo principal preparar uma empresa, um departamento, um bairro, uma escola, uma cidade ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente, por meio do envolvimento das pessoas e do trabalho em equipe.

Os 5S são uma derivação de cinco palavras de origem japonesa adaptadas para o português conforme descritas abaixo:


- Seiri: Senso de Utilização
- Seiton: Senso de Ordenação
- Seisou: Senso de Limpeza
- Seiketsu: Senso de Higiene, Saúde ou Bem Estar
- Shitsuke: Senso de Autodisciplina

Mas para torná-lo simples, é necessário que entendamos de forma prática o conceito de cada senso e que o torne uma ferramenta para ser utilizada …

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…

Série Ferramentas de Gestão: Diagrama do Processo Decisório

Diagrama do Processo Decisório ou PDPC (Process Decision Program Chart)

O Diagrama PDPC procura não apenas antecipar possíveis desvios de rota, mas também desenvolver medidas alternativas que previnam a ocorrência de desvios e atuem satisfatoriamente caso ocorram desvios de rota
O PDPC procura também, desenvolver planos de contingências / planos alternativo para lidar com as incertezas.
Deve-se usá-lo quando:
1.A tarefa é nova ou única; 2.O plano de implementação é complexo e difícil execução; 3.A eficiência de implementação é crítica. 4.Projeto de instalação de uma nova máquina ou intervenção de manutenção 5.Desenvolvimento e introdução de novos produtos
O PDPC pode também, ser usado para mostrar a cadeia de eventos que levam a um resultado indesejável.
Roteiro para Construção:
O Diagrama do Processo Decisório (DPD) é construído nas seguintes etapas:
• Fluxo básico • Macro-DPD • Micro-DPD

Roteiro Básico:
1.Definir os pontos de partida e de chegada 2.Traçar um plano otimista  3.Pensar sobre fatos qu…