Pular para o conteúdo principal

8 maneiras de liderar alguém que você não gosta



Como gerente, você gostaria de trabalhar somente com empregados que sejam agradáveis ​​e bem dispostos, mas é claro que terá alguns que você simplesmente não gosta.

Se esses empregados provarem o seu valor, então você vai ter que ajustar o seu estilo de gestão para a sua sanidade e produtividade global da sua equipe.

Aqui estão oito maneiras que podem estabelecer uma melhor relação de trabalho, mesmo com o empregado mais irritante.

1.    Aceite que você não precisa ser amigo de todos os seus empregados

Entenda que há uma linha entre negócios e sua vida pessoal, e ela pode realmente ser útil para por alguma distância emocional entre você e as pessoas que lhe reportam. Para o professor da Universidade de Stanford Robert Sutton, "do ponto de vista de desempenho, gostar demais das pessoas que você lidera é um problema maior do que gostar muito pouco delas". Alguns atritos podem permitir que sua equipe repense a maneira como ela funciona.

2.    Descubra por que eles o incomodam

Será que eles te irritam por causa de como se comunicam? Eles são muito agressivos ou talvez não agressivos o suficiente? Depois de determinar exatamente o que os tornam tão irritante para você, você será capaz de determinar a forma de liderá-los adequadamente. É importante lembrar que você não pode mudar a personalidade de um empregado, mas você pode mudar a maneira de lidar com essa personalidade.

3.    Permaneça positivo com eles

Os empregados querem que seus líderes gostem deles. Mantenha um relacionamento profissional cordial, mesmo com os membros da equipe mais irritantes. Isso o ajudará a manter o foco na tarefa quando estiver na sua frente, assim como ajudará a evitar mais conflitos.

4.    Concentre-se em como eles se beneficiam de sua equipe

Se você já determinou que estes empregados são talentosos o suficiente para mantê-los, então foque em que os tornam valiosos, em vez de quão irritantes eles podem ser. Se suas peculiaridades não combinam com as suas atuais responsabilidades, descubra se eles podem servi-lo melhor.

5.    Não deixe que as emoções dificultem a sua liderança       

Não deixe que os hábitos irritantes deles influenciem a maneira de tratá-los ou avaliar o trabalho realizado por eles. Você pode ajudar na objetividade deles, tentando entender por que eles são assim.


6.    Antecipe-se

Apenas aceite os traços de incômodos de um empregado pontualmente. Não deixe que a sua bondade leve-os a continuarem assim. Se a atitude ousada destes empregados ou as lamentações sobre as suas atribuições, por exemplo, estão desmotivando a equipe, faça-os saberem. Seja específico sobre os comportamentos problemáticos e sugira algumas formas alternativas de fazerem as coisas.

7.    Trabalhe em estreita colaboração com eles

Embora contraditório, estudos mostram que trabalhar em projetos difíceis pode construir afinidade entre colegas de trabalho. Se você dá a seu empregado problemático a chance de provar o seu valor, então você estará menos inclinado a tornar-se irritado com ele no trabalho, mesmo que você ainda não o convide para um churrasco a qualquer hora.

8.    Observe como os outros lidam com eles

Observe como os outros no trabalho lidam com estes empregados. Você pode perceber que está entrando em confronto com eles por causa de seu estilo particular de comunicação. Então, o ajuste a sua forma de liderá-los.


REFERÊNCIAS:

Tradução e adaptação do texto original de:

FELONI, R.  8 Ways to manage someone you don't like. Business Insider.  Disponível em http://www.businessinsider.com/how-to-manage-someone-you-dont-like-2014-3
 > Acessado em 25 de Mar. de 2014.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Significado Prático do 5S

Gerisval Alves Pessoa*
Daniel da Silva Jatahy**
Conceito de 5S


È um programa de educação e treinamento que busca a mudança no comportamento e nos hábitos das pessoas, de maneira simples e ao mesmo tempo revolucionária, por meio da prática de ações de melhorias contínuas no ambiente de trabalho e no gerenciamento do dia a dia das organizações.

Tem como objetivo principal preparar uma empresa, um departamento, um bairro, uma escola, uma cidade ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente, por meio do envolvimento das pessoas e do trabalho em equipe.

Os 5S são uma derivação de cinco palavras de origem japonesa adaptadas para o português conforme descritas abaixo:


- Seiri: Senso de Utilização
- Seiton: Senso de Ordenação
- Seisou: Senso de Limpeza
- Seiketsu: Senso de Higiene, Saúde ou Bem Estar
- Shitsuke: Senso de Autodisciplina

Mas para torná-lo simples, é necessário que entendamos de forma prática o conceito de cada senso e que o torne uma ferramenta para ser utilizada …

Série Ferramentas de Gestão: FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) - Análise dos Modos e Efeitos das Falhas
FMEA é uma ferramenta básica aplicada à confiabilidade que tem sua principal aplicação para a:
-Melhoria de um produto ou processo já em operação. A partir da identificação das causas das falhas ocorridas e seu posterior bloqueio. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos já em operação. -Detecção e bloqueio das causas de falhas potenciais (antes que aconteçam) em produtos ou processos, ainda na fase de projeto.
A ferramenta FMEA (Análise dos Modos e Efeitos das Falhas) é um método de análise de projetos (de produtos ou processos, industriais e/ou administrativos) usado para identificar todos os possíveis modos potenciais de falha e determinar o efeito de cada uma sobre o desempenho do sistema (produto ou processo), mediante um raciocínio basicamente dedutivo. É um método analítico padronizado para detectar e eliminar problemas potenciais de forma siste…

Série Ferramentas de Gestão: Diagrama do Processo Decisório

Diagrama do Processo Decisório ou PDPC (Process Decision Program Chart)

O Diagrama PDPC procura não apenas antecipar possíveis desvios de rota, mas também desenvolver medidas alternativas que previnam a ocorrência de desvios e atuem satisfatoriamente caso ocorram desvios de rota
O PDPC procura também, desenvolver planos de contingências / planos alternativo para lidar com as incertezas.
Deve-se usá-lo quando:
1.A tarefa é nova ou única; 2.O plano de implementação é complexo e difícil execução; 3.A eficiência de implementação é crítica. 4.Projeto de instalação de uma nova máquina ou intervenção de manutenção 5.Desenvolvimento e introdução de novos produtos
O PDPC pode também, ser usado para mostrar a cadeia de eventos que levam a um resultado indesejável.
Roteiro para Construção:
O Diagrama do Processo Decisório (DPD) é construído nas seguintes etapas:
• Fluxo básico • Macro-DPD • Micro-DPD

Roteiro Básico:
1.Definir os pontos de partida e de chegada 2.Traçar um plano otimista  3.Pensar sobre fatos qu…